Monsenhor Hipólito é um município brasileiro do estado do Piauí. Localiza-se a uma latitude 06º59'47" sul e a uma longitude 41º01'47" oeste, estando a uma altitude de 257 metros, ficando a 370 km da capital Teresina. Sua população segundo o censo de 2010 era de 7391 habitantes. Tem uma área de 401,433 km². Há alguns anos a cidade vem ficando muito prestigiada devido a prêmios educacionais em níveis estaduais e nacionais que os alunos da rede de ensino vem conseguindo. Além de ser considerada pelos hipolitanos como a cidade dos ambulantes batonzeiros.

Monsenhor Hipólito, teve origem no vale do Rio do Riachão, onde a incidência de pequenos olhos d`água, nascentes, além do rio Riachão facilitaria a criação do rebanho. O povoado teve início na fazenda "Riachão", de propriedade dos senhores Vítor Hipólito Ferreira, Izídro Pereira Bezerra e Antônio dos Anjos, e recebeu o mesmo nome da fazenda. Esta era de gado e logo atraiu outros moradores que foram também se dedicando a agricultura.

O primeiro comerciante do povoado Riachão foi o senhor Carlos Hipólito Ferreira, pai do Monsenhor João Hipólito de Sousa Ferreira, que posteriormente legaria seu nome à cidade, a despeito de ter nascido na fazenda "Lagoa do Rato" de propriedade de seus avós, no atual município de Fronteiras.

Com o processo de evolução surgiu nos anos 50, um movimento para a sua emancipação política, que teve como líderes os senhores José Alves Bezerra, Virgílio de Sá Bezerra e Manoel Alves Bezerra.

José Alves Bezerra Foi elevada à categoria de cidade com o nome de Monsenhor Hipólito, pela lei n.º 1.445, sancionada pelo então governador Jacob Gaioso de Almendra, em 30 de novembro de 1956.

Sua instalação oficial ocorreu no dia 26 de julho de 1957 com a presença do Governador e de muitas outras autoridades do Estado e da Região. Nomeado prefeito, interinamente, Manoel Bento Rodrigues que era casado com a senhora Maria Rodrigues de Lima. A partir desta data foram eleitos os demais prefeitos, vice-prefeitos e câmara de vereadores pelo voto popular, direto e secreto. Antes, o Povoado era jurisdição de Picos, a quem sempre pertenceu até sua emancipação.

Poderíamos chamar Monsenhor Hipólito de "Garganta Verde", haja vista seus extensos mandiocais e seus verdejantes carnaubais, cuja paisagem oferecida é encantadora.

Não poderíamos deixar de reverenciar as memórias dos falecidos, Ângelo de Maria Bezerra, Jair Pereira Bezerra e Sinhá Leitão, precursores da educação no município e que muito contribuíram para sua emancipação e progresso.

"Monsenhor Hipólito na condição de povoado Riachão, foi rota e palco da Coluna Prestes. Em janeiro de 1926, quando o movimento se dirigia ao Pernambuco para colaborar com um levante, liderado pelo tenente Cleto Campelo, o Comandante Miguel Costa, reconheceria o papel destacado de Luiz Carlos Prestes frente ao movimento, promovendo-o a General, Siqueira Campos e João Alberto, a coronéis, em terras riachãoenses."